No seu ritmo

Onde você quer estar daqui a quatro, cinco anos? E o mais importante: como você quer ser quando chegar lá? Independente do destino, ter alguém correndo junto é fundamental. E a gente quer ser seu parceiro nessa próxima etapa. Conheça nossas modalidades de ensino e veja a que mais se adequá na sua rotina.

Presencial

Maior convivência no mundo universitário, com urna pequena carga horária online de até 20%

Digital (EAD)

Flexibilidade para estudar onde e quando quiser, com aulas 100% online

FLEX

A mobilidade do EaD com atividades práticas laboratoriais presenciais

Empregabilidade

0 mil
Vagas de Emprego e Estágio
0 mil
Vagas de Emprego e Estágio

Aqui você pode interagir com consultores, tendo informações sobre estágios, empregos, orientação de carreira, além de conhecer as tendências do mercado.

Você e Estácio: Formou!

Posts Recentes

Especializações

Como as especializações impactam no mercado de trabalho?

O desenvolvimento de novas profissões e atividades, o que geralmente é acompanhado pela criação de novas ferramentas e tecnologias que, por sua vez, geram novas necessidades, demandam profissionais especializados. Contudo, nem sempre é possível encontrar trabalhadores disponíveis com as especializações desejadas.

Isso gera diversas consequências no mercado de trabalho, tanto negativas quanto negativas. Confira quais são, abaixo, e como a especialidade em áreas gera impacto no mercado de trabalho.

Especializações

Dica: Faça sua graduação na Estácio. Conheça agora os cursos https://matriculas.estacio.br!

Apagão de talentos: Especializações e mercado de trabalho

Considera-se que o país passa, atualmente, por um “apagão de talentos” em algumas áreas, principalmente nas tecnológicas. Isso significa que faltam profissionais qualificados em diversas vertentes do mercado de trabalho.

Isso, por sua vez, gera consequências negativas à economia brasileira, uma vez que a falta de trabalhadores qualificados dificulta a realização de atividades e do desenvolvimento de diversas áreas. Portanto, a ausência de profissionais habilitados atrapalha diretamente o desenvolvimento econômico do Brasil.

Por outro lado, os gestores que atuam em áreas defasadas no quesito especialização de profissionais buscam novas estratégias que possam contornar essa ausência de trabalhadores. Dessa maneira, alguns aspectos como as habilidades técnicas e comportamentais passaram a ser consideradas como diferenciais para fins de contratações.

São criadas, assim, oportunidades de carreira a profissionais que não seriam considerados, em um primeiro momento, às vagas ofertadas. Isso porque, muitas vezes, esses trabalhadores não especializados apresentam habilidade nata para a função oferecida. Também, a aquisição delas por meio de treinamento passa a ser considerada, de forma a moldar o funcionário conforme as necessidades empresariais.

Observa-se, portanto, não apenas a criação de oportunidades, mas o desenvolvimento de profissionais que recebem investimento das organizações. Esse investimento geralmente promete retorno futuro à empresa, de forma que se apresenta como uma boa alternativa à ausência de profissionais especializados.

Especializações

Consequências da ausência de profissionais com especializações

É possível afirmar que o chamado “apagão de talentos” criou uma situação desconfortável tanto às empresas brasileiras, de forma individual, quanto à economia do Brasil, de um modo geral.

O desenvolvimento de algumas empresas, pois, encontra dificuldade perante a ausência de profissionais habilitados para exercer funções típicas da organização. Dessa maneira, tem-se tornado cada vez mais comum que a busca de novos talentos.

Conforme citado acima, uma das áreas mais afetadas pela ausência de profissionais especializados é a de tecnologia, que tem recebido cada vez mais investimento para seu desenvolvimento.

Tais investimentos, por sua vez, são destinados à disponibilização de vagas para profissionais e, também, ao desenvolvimento técnico destes trabalhadores. Isso se deve, principalmente, à ausência de indivíduos que apresentem, previamente, expertise no nicho de atuação empresarial.

O foco das empresas se alterou, dessa forma, à busca de profissionais que embora sem especializações demonstrem intenção de aprender e se desenvolver, assim como se especializar. Outros pontos que passam a ter destaque são a presença de relações profissionais, assim como a proatividade e motivação.

Nesse sentido, mesmo quem não possui habilidade específica para a atividade pode demonstrar outras capacidades que podem se tornar interessante e que demonstrem sua aptidão ao desenvolvimento dentro da área.

A capacitação interna, nesse viés, apresenta-se como uma alternativa às empresas. Com ela, é possível investir em cursos de especializações que são destinados aos empregados que apresentarão retorno à organização com a aplicação de seus conhecimentos em suas atividades profissionais.

Assim, mesmo aquele trabalhador que ainda não se apresenta como especialista no assunto pode se tornar um. Para tanto, é importante o investimento, desde logo, em conhecimentos referentes ao marketing digital, redes sociais e que fomentem a aproximação com a tecnologia e suas ferramentas.

Por outro lado, profissionais que já seriam considerados especializados podem se deparar com cursos de atualização que lhes tornam capazes de exercer novas atividades dentro de seu nicho ou, ainda, de praticar as mesmas tarefas com novas técnicas.

Um dos pontos negativos dessa nova estratégia de contratação e desenvolvimento é que, muitas vezes, os profissionais que apresentam habilidades mesmo sem conhecimento técnico passam a prestar as mesmas atividades que profissionais especializados, porém com salário muito abaixo à média destes.

Também, muitas vezes o investimento das empresas demora a dar retorno, pois os cursos podem ser de longo prazo, o que mantém a organização em um limbo enquanto aguarda a possibilidade de atuação com base no trabalho de profissionais especializados.

Diante de todos esses fatores é possível concluir que a busca por cursos, principalmente na área tecnologia. Dentre eles estão os de natureza acadêmica, como graduação e pós-graduação, assim como cursos técnicos que auxiliam no desenvolvimento da destreza profissional nessas áreas.

Outro ponto importante é a demonstração de interesse, a qual pode ser essencial para uma contratação, mesmo quando ausente o diploma condizente a especializações. As habilidades pessoais, portanto, podem operar como o grande diferencial num processo seletivo.

E as especializações, podem agregar ainda mais valor para uma oportunidade em que existem vários candidatos adequados para uma determinada posição, onde ela pode ser o diferencial. 

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén